Ir para o conteúdo

Prefeitura da Estância Turística de Olímpia-SP e os cookies: nosso site usa cookies para melhorar a sua experiência de navegação. Ao continuar você concorda com a nossa Política de Cookies e Privacidade.
ACEITAR
PERSONALIZAR
Política de Cookies e Privacidade
Personalize as suas preferências de cookies.

Clique aqui e consulte nossas políticas.
Cookies necessários
Cookies de estatísticas
SALVAR
Prefeitura da Estância Turística de Olímpia-SP
Acompanhe-nos:
Rede Social Instagram
Rede Social Facebook
Rede Social Flickr
Notícias
Enviar para um amigo!
Indique essa página para um amigo com seus dados
Obs: campos com asterisco () são obrigatórios.
Enviando indicação. Por favor, aguarde...
JUN
07
07 JUN 2024
CULTURA
FEFOL anuncia representantes do Piauí e Paraíba com grupos tradicionais e atração inédita
Foto Noticia Principal Grande
Os Cariris - Inédito
enviar para um amigo
receba notícias
Região Nordeste, sempre muito presente no Festival do Folclore de Olímpia, chega à edição especial de 60 anos com mais de 15 representantes de 8 estados diferentes e para melhor apresentar os grupos que participarão do FEFOL 2024, a Comissão Organizadora anunciará, inicialmente, os estados da Paraíba e do Piauí.

Os dois primeiros estados nordestinos já confirmados desembarcam na Capital Nacional do Folclore com 4 grupos, sendo um deles inédito.

Piauí, que é um estado poucas vezes representado no FEFOL, estará este ano em Olímpia com o Congo de Oeiras (Oeiras – PI), que esteve pela última vez no festival em 2007. Manifestação característica da época dos escravos, que se disfarçavam com roupas femininas para louvarem seus santos de devoção, o Congo de Oeiras nasceu, na cidade, a partir do incentivo e das pesquisas do Padre João de Deus. Em 1983, os moradores começaram a se apresentar nas datas dos santos devotados, ganhando importante força como patrimônio cultural. De acordo com o presidente do grupo, Flávio Antônio Mendes da Silva, o congo conta com 4 personagens durante sua manifestação: Rei Congo, Ordenança, Secretário e Embaixador, sendo uma tradição passada na família, de geração em geração.



Já a Paraíba traz três representantes de sua cultura, com dois grupos já conhecidos do público do festival e um deles inédito. Quem estreia no FEFOL, este ano, é Grupo de Cultura Os Cariris, de Taperoá-PB.

Fundado em 1988, o grupo tem por objetivo resgatar, preservar e divulgar a cultura da região, tendo a chancela de Ponto de Cultura, desde 2005, por ser referência no estado. Ao longo dos seus 36 anos, tem participado de diversos festivais nacionais e até internacionais, representando o Brasil, além de desenvolver um grande trabalho social com crianças e adolescentes. Os Cariris trazem em seu espetáculo a dança folclórica, conservando a originalidade do passo, da música, do vestir e da poesia, com peculiaridades que constitui uma língua universal, mostrando o cotidiano nordestino, como as glórias do passado, o problema crucial da seca e seus impactos apresentados de uma forma mais feliz, em verso, música e dança.



De Campina Grande – PB, o FEFOL recebe mais uma vez o Grupo de Cultura Nativa Tropeiros da Borborema. Fundado há 42 anos, sua criação inspirou-se na formação histórica de Campina Grande, quando a cidade marcava os primeiros passos de desenvolvimento. Com o objetivo de pesquisar e divulgar a cultura popular nordestina, através da dança folclórica, o grupo premiado já teve passagens por diversos festivais do Brasil e também pela Europa e Ásia. Considerado pioneiro na modalidade dança folclórica na cidade, o grupo tem se destacado com o seu trabalho sério na preservação da cultura popular nordestina, mantendo vivas as raízes culturais e resgatando as tradições de seu povo. Entidade reconhecida de utilidade pública, constitui-se patrimônio cultural da Paraíba, reinventando-se ao longo do tempo, com a criação de novos quadros, integrando outras linguagens artísticas aos seus espetáculos e, assim, se renova para continuar contribuindo com a preservação do folclore brasileiro.



Completando a participação paraibana, o Grupo EITA de Projeções Folclóricas, da capital João Pessoa, que estreou no FEFOL no ano passado, encantando o público, retorna à Capital do Folclore. O grupo foi criado em 2009 com o objetivo de incentivar a pesquisa e o aprofundamento sobre as danças populares da Paraíba, elevando ainda mais o pensamento artístico do povo e fortalecendo as raízes culturais. O nome “EITA” foi escolhido por vir de uma forte expressão popular presente no vocabulário dos paraibanos e nordestinos de um modo geral. O quadro de danças do grupo é composto por diversas manifestações populares, como Boi de Reis, Xaxado da Paraíba, Cocos de roda, dentre outros.



Nas próximas semanas, serão revelados os demais grupos dos estados de Alagoas, Sergipe, Pernambuco, Maranhão, Ceará e Rio Grande do Norte que estarão presentes no 60º Festival Nacional do Folclore de Olímpia, que será realizado de 03 a 11 de agosto de 2024, no Recinto do Folclore “Professor José Sant’anna”, com o tema “Olímpia: o solo sagrado do folclore brasileiro”, em homenagem à cidade sede do festival, à história e tradição da festa realizada há 60 anos consecutivos e ainda valorizar Olímpia como o ponto de encontro da cultura brasileira, tendo em vista a oportunidade única que o festival oferece de reunir as diversas culturas de norte a sul do país, em um só lugar.

O Festival do Folclore de Olímpia é uma realização da Prefeitura, por meio da secretaria de Turismo e Cultura, com apoio de projetos de incentivo cultural e parceiros. Com 9 dias de programação variada, a festa é aberta a toda população e visitantes com entrada gratuita e espera receber um público de mais de 160 mil pessoas.

CANAIS OFICIAIS:
http://www.folcloreolimpia.com.br           
http://www.facebook.com/folcloreolimpiaoficial
http://www.instagram.com/fefoloficial
https://www.youtube.com/FolcloreOlímpia
Seta
Versão do Sistema: 3.4.1 - 29/04/2024
Copyright Instar - 2006-2024. Todos os direitos reservados - Instar Tecnologia Instar Tecnologia