Ir para o conteúdo

Prefeitura da Estância Turística de Olímpia-SP e os cookies: Nosso site usa cookies para melhorar a sua experiência de navegação. Ao continuar você concorda com a nossa Política de Cookies e Privacidade.
OK
Prefeitura da Estância Turística de Olímpia-SP
Acompanhe-nos:
Rede Social Facebook
Rede Social Flickr
Rede Social Instagram
Notícias
Enviar para um amigo!
Indique essa página para um amigo com seus dados
Obs: campos com asterisco () são obrigatórios.
Enviando indicação. Por favor, aguarde...
NOV
29
29 NOV 2021
GABINETE
Olímpia tem uma das melhores gestões da região do Estado em avaliação do Tribunal de Contas

A Estância Turística de Olímpia se destacou, mais uma vez, quando o assunto é eficiência na gestão. É o que mostra o Índice de Efetividade da Gestão Municipal (IEG-M), elaborado pelo Tribunal de Contas do Estado de São Paulo (TCE).

O relatório de 2021 foi divulgado na tarde desta segunda-feira (29), com base nos dados referentes a 2020. De acordo com a avaliação, Olímpia conquistou nota “B”, que significa Gestão Efetiva, índice alcançado por somente 13,8% dos municípios paulistas, o que garante à cidade uma das melhores gestões do Estado.

Em toda a região, somente Olímpia e outras quatro cidades tiveram nota B, sendo Colômbia, São José do Rio Preto, Catanduva e Ibirá. O IEG-M possui cinco faixas de classificação, definidas a partir das notas alcançadas nos sete índices setoriais. Nenhum município teve a nota máxima A (altamente efetiva) e apenas 3 cidades (Indiaporã, Praia Grande e Tarumã), tiveram a segunda melhor nota B+ (muito efetiva). Além disso, no total, 253 cidades apresentaram gestão em fase de adequação (C+) e 299 foram consideradas com baixo nível de adequação (C).

Ao todo, são medidos sete índices temáticos Educação, Saúde, Planejamento, Gestão Fiscal, Meio Ambiente, Proteção dos Cidadãos (Defesa Civil) e Tecnologia, sendo que Olímpia só apresentou gestão em fase de adequação (C+) em Planejamento, enquanto os demais fatores foram considerados como gestão efetiva (B).

Criado em 2015 pelo TCE, o IEG-M mede a eficiência das 644 Prefeituras paulistas, com exceção da capital. O estudo é feito com base em informações prestadas pelas Administrações Municipais e obtidas durante a fiscalização do Tribunal de Contas e visa dar transparência às ações governamentais, uma vez que o IEG-M tem como principal finalidade o aperfeiçoamento das políticas adotadas para atendimentos das necessidades da população.

Segundo o Tribunal de Contas, houve uma piora no quadro geral da efetividade das gestões públicas no Estado, com aumento de municípios com baixo nível de adequação, que é a nota mais baixa do índice.

Em Olímpia, uma Comissão Municipal foi criada para o acompanhamento, supervisão e controle do levantamento do Índice de Efetividade da Gestão Municipal, com representantes das secretarias envolvidas a fim de aprimorar o trabalho no município visando melhorar cada vez mais a eficiência da gestão.

“O IEG-M é um índice bastante completo porque abrange todas as áreas essenciais da gestão com foco na avaliação da aplicação de recursos, trabalho transparente e responsável e o cuidado com as pessoas. Vejo este resultado como positivo, tendo em vista que a eficiência na gestão sempre foi nosso carro-chefe da administração e como vimos estamos entre as 91 prefeituras com melhor gestão no Estado. Levantamentos como este, ainda mais do Tribunal de Contas, nos servem de base para analisar o nosso desempenho e identificar as áreas que podemos melhorar ainda mais”, declarou o prefeito Fernando Cunha.
 
Seta
Versão do Sistema: 3.1.7 - 02/12/2021
Copyright Instar - 2006-2022. Todos os direitos reservados - Instar Tecnologia Instar Tecnologia